segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

PCA - Partido Comunista do Astral

Este médium que vos escreve, através de sessão espírita, teve acesso a uma reunião do Comitê Central do PCA – Partido Comunista do Astral, na Espiritualidade Maior.

Era uma sessão, digo, reunião para analisar o caso brasileiro, estavam presentes os Espíritos de Marx, Engels, Lênin, Stálin, Trotsky (hoje, esses dois últimos, amicíssimos), Mao Tse Tung, Ho Chih Minh, Che Guevara, Gramsci e outros que tais.

Estavam presentes também muitos Espíritos de brasileiros que tombaram honrosamente, mas pediram que não citassem os seus nomes, pois estavam decepcionados com as ex-querdas brasileiras, salvo – claro – exceções.

Abrindo os trabalhos o camarada Marx, digo, Irmão Marx comentou que “já, há alguns anos, estamos acompanhando, perplexos, o desenrolar dos fatos em Pindorama, a bela terra dos tupiniquins” e perguntou se após os grupos de estudos realizados os ilustres camaradas, digo Espíritos, tinham chegado a alguma conclusão...

- Ou confusão – brincou Lênin – porque aquele povinho lá, sei não viu... só mais um milênio de opressão para eles... meio milênio é pouco, ainda não se tocaram...

Todos voltaram-se então para o camarada, digo, Irmão Ho Chih Minh, que em vida também foi monge budista e poeta de reconhecida sabedoria.

O silêncio se fez. Disse Tio Ho, como os meninos do Vietnã o chamavam:

- Amados Irmãos, após meditar bastante, verifiquei que as ex-querdas brasileiras estão precisando muito de nossas preces e orações. Penso que elas foram acometidas da Síndrome de Estocolmo, aquela em que o seqüestrado se apaixona pelo seqüestrador. E se não se apaixona no sentido de amor carnal, passar a adotar os hábitos do opressor, deslumbrados com o capitalismo...

- Mas eu sempre falei isso... – interrompe o Camarada, digo, Irmão Bakunin, chegando atrasado e completa – desculpem o atraso. Tão logo pode, o proletário se torna conservador, reacionário e chama patrão de meu louro.

- O Irmão Bakunin tem toda razão – disse Trotsky.

- Mas então, onde foi que nós erramos? – perguntou Engels.

- Eu sei – interferiu o Irmão Stálin – nós utopizamos demais os proletários, pensamos que eles se manteriam fiéis às suas origens pobres e não se entregariam nos braços das elites.

- E agora, que fazer? Perguntou Mao Tse Tung – camponês tem muito pouco, 80% da população mora nas cidades?

Nisso o Comandante, digo Irmão Che Guevara, pede a palavra, levanta-se e:

- Irmãos, vamos suspender os trabalhos, telepaticamente acabo de receber o comunicado de que a situação no mundo árabe está muito mais interessante. Pindorama já era, dificilmente deixará de ser quintal da grande nação do norte.

Todos concordaram. Gramsci ficou de fazer a ata espiritual. Logo em seguida cada camarada, digo cada Espírito foi procurar a sua falange e os espíritos de brasileiros presentes também se dispersaram.

Oremos !

Um comentário:

Vera disse...

A-do-rei!!!
bj, Vera